Disponíveis 50 milhões de dólares para crédito da campanha agrícola

Malanje - Cinquenta milhões de dólares norte-americano é o montante disponibilizado pelo governo ao Banco Sol, para a concessão, em kwanzas, de crédito para campanha agrícola às associações, cooperativas e agricultores organizados ao nível do país, até 2012.

 

O facto foi revelado à imprensa, pelo presidente do conselho de administração do Banco Sol, Coutinho Nobre Miguel, durante o último fim-de-semana, aquando do lançamento do referido crédito nos municípios de Kalandula, Cacuso e Caculama, num valor de 46 milhões e 44 mil 436 kwanzas.

 

O responsável fez saber que, dos USD 50 milhões, estão disponíveis 15 milhões para a província de Malanje, cuja primeira fase abrangeu os três municípios já contemplados (Kalandula, Cacuso, Caculama).

 

Disse que o incremento dos referidos valores dependerá da dinâmica de trabalho dos camponeses, de acordo com os níveis de produtividade e de produção.

 

Coutinho Nobre Miguel anunciou a construção de mais duas agências bancárias nos municípios de Caculama e Kalandula, cujas obras estão já em fase de implementação.

 

Revelou que, actualmente, o Banco Sol dispõe de 82 milhões de dólares norte-americanos do fundo de capital, e uma carteira de depósito anual na ordem de um bilião e 250 milhões de dólares que considerou de eficiente para a concorrência de mercado.

 

Fez saber que o Banco Sol começou com um capital mínimo de investimento de quatro milhões de dólares norte-americano quando abriu a instituição em 2001, tendo crescido para Usd 19 milhões com os rendimentos e fundos de capitais.

 

Coutinho Nobre Miguel precisou que, o Banco Sol, como instituição de capital privado, conta actualmente com 400 empresas que funcionam nos moldes de micro-crédito a retalho e não só. Em nove anos de existência, a instituição já disponibilizou 306 milhões dólares em créditos e micro-créditos.

 

O crédito de campanha agrícola, tem como fundo de garantia de riscos, 80 porcento de juros bonificados à conta do governo e 5 porcento sob tutela do Banco, e destina-se a melhorar a prática da agricultura e, consequentemente, a vida das populações camponesas, através do trabalho manual e mecanizado da actividade agrícola, cujos prazos de reembolso são de noventa dias.

 

O projecto foi adjudicado a quatro instituições bancárias comerciais de capital privado angolanas, nomeadamente Banco Sol, Banco de Poupança e Crédito (BPC), de Comércio e Indústria (BCI) e Africano de Investimentos (BAI), sob a direcção operativa do Banco Desenvolvimento de Angola (BDA).

 

Fonte: Angop

publicado por asbcong às 19:05 | link do post