Unicef preocupado com população sem acesso à água potável

Luanda - O oficial de projectos do Unicef, Edson Monteiro, afirmou nesta sexta-feira, em Luanda, que a falta de água potável em algumas localidades do país é preocupante porque tem sido a principal causa de doenças diarreicas, cólera, hepatite e outros problemas relacionados a higienização básica.

 

De acordo com Edson Monteiro que falava durante o seminário sobre o “Tratamento e consumo de água”, o problema não está somente na escassez do precioso líquido, mas também na qualidade, quando se tem. “A água retirada de rios, lagos, cacimbas e outras fontes superficiais contém substâncias prejudiciais à saúde humana, tais como areias, microorganismos e outros parasitas, por isso, temos que trata-la sempre a água antes de ser consumida”, explicou.

 

Segundo o responsável, o acesso à água tratada é necessidade humana prioritária e básica que se associa a melhoria da higiene, o que é importante para a redução da pobreza, a sobrevivência infantil e sustentabilidade do homem e do ambiental. Dados do Unicef indicam que a cada ano morrem no mundo cerca de 12 milhões de pessoas por falta de água, das quais três milhões são crianças que morrem por doenças causadas pelo uso deste líquido não tratado.

 

Em Angola, os Ministérios da Saúde, Energia e Águas, Educaçao, a direcção provincial da Saúde de Luanda e o Unicef trabalham num programa multisectorial para a redução das doenças de transmissão fecal-oral, através de uma campanha que promove medidas de tratamento da água e higiene.

publicado por asbcong às 14:34 | link do post