Cooperativas são parceiras importantes para progresso económico

Associativismo

   
Ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, Pedro Canga
Ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, Pedro Canga
 

Luanda – As cooperativas e associações de produtores são parceiras importantes no processo de desenvolvimento económico e social em Angola, razão pala qual o Executivo atribui uma atenção especial a iniciativas do género, afirmou hoje, em Luanda, o ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, Pedro Canga.


O governante, que discursava na abertura da décima Assembleia-Geral da Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa (OCPLP), referiu que muitas cooperativas, principalmente as dos sectores da agricultura e das pescas já têm recebido os apoios necessários para a execução dos seus projectos.


“O associativismo sempre norteou a vida das sociedades, com práticas de entreajuda e de cooperação nas suas actividades quotidianas, com o objectivo de se encontrarem soluções para os problemas comuns, nomeadamente a produção, comercialização, consumo, crédito, entre outros”, disse.


Relativamente à Assembleia-Geral da OCPLP, Pedro Canga salientou que a organização pode e deve contribuir para o fortalecimento do movimento cooperativo dos países membros, principalmente dos africanos e do Timor-Leste, daí que aconselha a priorização da formação em áreas tidas como essenciais para a vida das cooperativas.


Angola, sublinhou o ministro, reitera a sua disponibilidade de prestar o apoio, na medida das suas capacidades, para que a OCPLP possa concretizar os seus projectos.


“Outras área que deverá igualmente merecer o devido tratamento está relacionada com a legislação, e gostaríamos de contar com a ajuda da OCPLP no processo de adequação das leis e regulamentos que dizem respeito às cooperativas” – avançou, manifestando-se satisfeito pela realização, este ano, do referido evento em Angola.


Pedro Canga adiantou estar convicto de que os documentos a serem aprovados na assembleia-geral ajudarão a consolidar a organização e contribuirão para o cumprimento das recomendações do nono encontro cooperativo, realizado no Brasil em 2010 e, deste modo, materializar o desejo (criação da OCPLP) manifestado na “Acta do Rio” de 1997.


Integrado por oito países lusófonos (Angola, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Guiné Bissau, Timor Leste, Brasil e Portugal), a Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa, foi criada no ano 2000 com o propósito de promover o cooperativismo nos estados membros, em particular, e no mundo em geral.

 

Fonte: ANGOP

publicado por asbcong às 19:53 | link do post | comentar